ATENÇÃO! Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.
IMOxpto
Dados do Livro
Guerras Que Ja Ai Estao E As Que Nos Espera, As
Desconto
21.71 €
17.37 €
Titulo:

GUERRAS QUE JA AI ESTAO E AS QUE NOS ESPERA, AS

Editora:
Coleção:
ISBN:

Neste novo livro, o general Loureiro dos Santos responde e adverte para as questões que se levantam com a alteração, em curso, da ordem internacional unipolar.
«Desde há alguns anos, vivemos um período de transição acelerada para um futuro incerto e perigoso. No qual, as dificuldades para o Ocidente, muito particularmente para Portugal, serão bastante expressivas», adverte o general no Prólogo do seu livro.
«A crise económica e financeira […] veio (e está) a confirmar a tendência para o aumento do poder das potências emergentes e reemergentes e transformou-se num acelerador das mudanças em curso.
»Em toda a História mundial não se conhece uma alteração das relações de forças global em tão curto período.»

-No quadro geopolítico configura-se o surgimento das Ilhas de Poder Global (EUA, China, Índia, Rússia e Brasil), dos Ilhéus de Poder Global (médias potências) e dos Quase Ilhéus, num Mundo em transição onde os recursos estratégicos estão cada vez mais espartilhados e os estados cada vez mais fragilizados.
-O Irão surge com um novo fôlego e ganha preponderância.
-A Rússia «renasce» e tenta controlar o Cáucaso.

Todos os actores tentam reposicionar-se em face de uma nova ordem mundial. E Portugal? Como actua no teatro de operações internacional e internamente?
-Tem uma Lei da Defesa Nacional com muitas insuficiências.
-Assina um Tratado de Lisboa que favorece mais as ambições de Madrid que as de Lisboa.
-Tem um projecto de TGV que também favorece mais Madrid do que Lisboa.
-Tem uns Serviços de Informações com falta de margem de manobra.
-Duplicação e desperdícios de meios com a falta de articulação entre as Forças Armadas e as Forças de Segurança Interna.
-As Forças Armadas têm falta de armas e equipamentos adequados.
-Verificam-se retrocessos nos direitos sociais dos militares, com um aumento do sentimento de injustiça daqueles que servem o País nas fileiras, achando que são maltratados e desconsiderados pelos responsáveis políticos.

Com a posição central de Portugal face ao Atlântico (Oeste), Espanha (Leste) e território africano (Sul) e o seu papel preponderante na CPLP e na possível articulação da segurança e defesa da região do Atlântico (médio/Sul), é urgente repensarmos o papel das nossas Forças Armadas e, de algum modo, recolocá-las na primeira linha dos interesses nacionais. No fundo, fazer jus aos «absolutamente portugueses».


IMOxpto
Top Vendas
Newsletter
IMOxpto
As promoções indicadas são exclusivas para o site e válidas para o dia 21 de julho de 2019 salvo indicação contrária
© 2019 LIVAPOLO.